Nosso Telefone

(53) 3231-2155

Prefeito diz na CDL que indústria naval e energias renováveis ainda são prioridade

27/01/2017

“A indústria naval e energias renováveis ainda são pautas e, para nós, prioritárias”. A declaração é do prefeito do Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer, que foi o convidado da reunião de diretoria da Câmara de Dirigentes Lojistas, ocorrida nesta quinta-feira, 25. O Chefe do Executivo compareceu acompanhado do vice-prefeito Paulo Renato Mattos Gomes e dos secretários Roque Werlang, da Fazenda; Marcos Mazoni, de Desenvolvimento, Inovação, Emprego e Renda; Fabrício dos Santos, secretário Adjunto da SMIDIER e Darlene Pereira Torrada, do Gabinete de Programas e Projetos Especiais.

O presidente da CDL, Luis Carlos Zanetti, falou que o objetivo do encontro era rever pleitos da entidade que haviam sido apresentados na gestão anterior. Salientou que “o foco principal é o desenvolvimento, precisamos conhecer os projetos de estimulo à economia local para geração de emprego e renda e para, de alguma forma, contribuir e participar destes projetos”

 

Comércio informal e Calçadão

Sobre a necessidade de maior fiscalização para coibir o comércio informal, o presidente Luis Carlos Zanetti justificou que “hoje temos nossas vitrines bloqueadas por causa dessa atividade ilegal e a fiscalização não tem sido efetiva. Tanto o Calçadão quanto a Marechal Floriano, a praça Tamandaré e o Cassino estão tomados de produtos, sendo que alguns são prejudiciais à saúde, como óculos e perfumes”. O prefeito respondeu que nos últimos quatro anos fortaleceu o quadro de fiscais. “Identificamos problemas sérios com relação ao mercado informal, avançando nas praças e recentemente no Calçadão. Fizemos abordagens que diminuíram o problema, mas no final do ano passado tivemos problemas graves no Calçadão. A tendência é efetivarmos uma fiscalização mais constante. Temos uma dificuldade em função da jornada de trabalho do setor público, que é de 30 horas semanais há mais de 40 anos. Tem de corrigir e estamos buscando uma solução para isso”.

Indagado sobre a revitalização do Calçadão no último trecho, entre Duque de Caxias e General Netto, Lindenmeyer informou que existe uma proposta para a obra ser feita pela Yara Brasil, como compensação, já que a empresa está construindo uma nova fábrica no município.

 

Regaseificação e Polo Naval

Sobre a situação do projeto do terminal de gaseificação e da usina termelétrica, o Chefe do Executivo informou que todas as questões ambientais foram cumpridas. “Estamos acompanhando par e passo o projeto da Bolognesi com a Shell. Fui à reunião na Aneel (agência reguladora do setor de energia), em Brasília, para não haver ruptura no prazo concedido e até uma dilatação do prazo, e no começo deste ano enviamos projeto de incentivo fiscal à Câmara de Vereadores. A Aneel dilatou o prazo para negociação entre a Shell e Bolognesi. Eles venceram o leilão e tem prazo para entregar energia. Me foi dada como posição que a Shell e Bolognesi praticamente fecham a composição e que, entre outubro e novembro, iniciará a construção da planta. A obra irá durar três anos e haverá também absorção de mão de obra da metalurgia. É um projeto que se mantém em perspectiva e estivemos sempre acompanhando seus desdobramentos”..

Alexandre Lindenmeyer também salientou que Rio Grande captou o terceiro maior recurso do PMAT (Programa de Modernização Administrativa e Tributária) e também obteve recursos do programa Cidade Digital. “Somados, os dois projetos atingem R$ 20 milhões. Com esses recursos vamos avançar Rio Grande como uma cidade inteligente”, destacou.

O prefeito também pediu para falar sobre a indústria naval. Informou que um consórcio de credores da Ecovix poderá ser feito para disputar novas licitações com um novo CNPJ. Com isso, o estaleiro poderá construir plataformas, mas também prestar outros serviços, como reparos de navios até para os países vizinhos e destacou: “A indústria naval e as energias alternativas continuam sendo, para nós, pautas prioritárias”.

Após a explanação de Alexandre Lindemeyer, os secretários municipais presentes falaram de alguns projetos de suas pastas. A seguir, o presidente da CDL abriu espaço para questionamentos dos diretores. No final, o prefeito adiantou que em março ocorrerá o seminário “O Rio Grande que nós queremos para 2030”, quando vários setores da comunidade serão convidados a participar e debater o planejamento econômico do município. Aproveitou para convidar a diretoria da CDL a acompanhá-lo numa viagem à Taiwan, que empreenderá na primeira quinzena de abril.

 

Rio Grande, 26 de janeiro de 2017.

Fonte: Ique de la Rocha


Download Imprime Compartilhar Indicar a um amigo

Para maiores informações ligue para:

(53) 3231-2155


Mais Notícias

Voltar